As 10 principais cachoeiras, na Rota das Cavernas!

Cachoeiras que não acabam mais!

Nem só de Cavernas é composto o Circuito Rota das Cavernas, mas de inúmeras cachoeiras ao longo das cidades que estão no circuito, que poderia ser tranquilamente ser chamado de “Rota das Cachoeiras”. Algumas gigantes, outras tão bonitas que foram até eleitas pelo portal G1 como a mais bonita do Estado de SP, à cachoeiras no interior de cavernas. Isso mesmo, no interior das montanhas, no subterrâneo. Já pensou? Água termal, 12ºC (risos).

Vamos lá, o Circuito Rota das Cavernas está crescendo e agora abrange uma área imensa no sul do Estado de São Paulo. Entre os municípios de Jacupiranga, Cajati, Barra do Turvo, Eldorado, Iporanga, Apiaí, Itaóca, Ribeira e Ribeirão Grande. Reconhecido pela Secretária de Turismo do Estado de São e está inserido no Mapa do Turismo Brasileiro, no Ministério do Turismo.

Mapa Ilustrativo da Rota das Cavernas

Mapa Ilustrativo da Rota das Cavernas

Não falarei de cavernas, mas de algumas das principais cachoeiras que estão no circuito. Curto, breve e sem enrolar. Até porque está calor e queremos águaaaa! Bora tomar um banho de água doce? Vejam minhas dicas:


1 – Cachoeira Noiva do Lamarca:

Cachoeira Noiva do Lamarca, no Parque Estadual do Rio Turvo, Núcleo Capelinha

A Cachoeira Noiva do Lamarca, com quase 60 metros de altura está localizada no Núcleo Capelinha do Parque Estadual do Rio Turvo, no Município de Cajati. Tem fácil acesso pela BR 116, km 511 sentido sul. É possível visitar sua base e também o seu topo através de um mirante construído em madeira. No mesmo núcleo tem um museu e espaço para recreação, picnic e diversão com a família. Ideal para a melhor idade. Aberto das 08 às 17hs, de segunda à domingo. Não dá para nadar no seu poço. Nesse mesmo blog eu fiz uma postagem sobre uma visita à esse Núcleo. O link está no final do post.


2 – Cachoeira do Dito Salu

Cachoeira do Dito Salu

A Cachoeira do Dito Salu, com quase 70 metros de altura, está localizada no município da Barra do Turvo. Seu acesso, muito fácil, é por estrada de terra na zona rural do município, cerca de 10 km do centro. Não tem controle de entrada ou de visitação e para nadar sob suas quedas não é legal. As rochas são bem escorregadias. A Cachoeira é linda, fotogênica. O carro chega muito perto da cachoeira.


3 – Cachoeira do Sapatu

Cachoeira do Sapatu, em Eldorado, Rota das Cavernas

Linda, pequena, fácil acesso. Gosto demais de visitar a Cachoeira do Sapatu. Trilha de mais ou menos 150 metros à partir do carro. Está localizada em Eldorado, ao longo da Rodovia que dá acesso à Iporanga e à Caverna do Diabo, cerca de 28 km do centro da cidade. Tem que pagar uma taxa para visitar a cachoeira, em torno de R$ 8,00 por pessoa (ano 2017) ao proprietário, morador tradicional do Quilombo do Sapatu. Recomendo àqueles que estão em visita às cavernas do PETAR ou Caverna do Diabo.


4 – Cachoeira Queda do Meu Deus

Cachoeira Queda do Meu Deus, no Vale das Ostras, em Eldorado, Rota das Cavernas

Essa é sensacional, merecia um post só para ela (e terá em breve), à Cachoeira Queda do Meu Deus e ao complexo de cachoeira onde está inserida, o “Vale das Ostras”. Eleita a mais bonita do Estado de SP no portal G1. Digna do título. Com quase 60 metros, é formada pelo rio que sai da Caverna do Diabo. O acesso pode ser feito por trilha ao longo do rio, subindo e passando por uma sequência de 12 cachoeiras ou indo direto até ela. Deve ser feito com guia. Está em propriedade particular (morador tradicional do Quilombo do André Lopes). Paga-se uma taxa logo na entrada, onde é fornecido e contratado (obrigatório se fizer a trilha) um guia local. O valor do ingresso varia em determinadas épocas do ano e feriados, mas sempre acima de R$ 10,00 por pessoa. Localiza-se também ao longo da Rodovia que dá acesso à Caverna do Diabo e ao PETAR, logo à frente da Cachoeira do Sapatu. Dá para nadar no seu poço e fazer muitas imagens.


5 – Cachoeira do Taquaruvira

Cachoeira do Taquaruvira, em Iporanga

 

A Cachoeira do Taquaruvira, com cerca de 10 metros de altura, está localizada em Iporanga. Cerca de 10 km do centro da cidade. Acesso fácil, 200 metros de trilha. Em propriedade particular. É autoguiada, mas paga-se uma taxa de R$ 5,00 ao dono do terreno (morador tradicional). Passeio agradável e recomendado para àqueles dias de domingo à tarde.


6 – Cachoeiras do Sem Fim

Cachoeira do Sem Fim

As Cachoeiras do Sem Fim formam um complexo com 03 cachoeiras. Localizam-se ao longo da Rodovia que dá acesso ao Bairro da Serra e ao Núcleo de Santana do PETAR, em Iporanga. A cachoeira maior tem cerca de 10 metros de altura. Todas são muito convidativas para àquele banho de cachoeira. Estão em propriedade particular, morador tradicional. Paga-se uma taxa de R$ 8,00 por pessoa para visitar. As cachoeiras eram conhecidas como “cachoeiras do R$ 1,00”, mas isso no século passado. São autoguiadas.


7 – Cachoeira da Caverna Ouro Grosso

Cachoeira da Caverna do Ouro Grosso, no PETAR, em Iporanga

Já se banhou na queda de uma cachoeira? E numa cachoeira no interior de uma montanha, na escuridão de uma caverna?! Só na Rota das Cavernas. Experiência única. Mas só pode ser feita com um guia credenciado pelo PETAR. Essa é a Cachoeira da Caverna Ouro Grosso, localizada no Núcleo Ouro Grosso do PETAR, no Bairro da Serra em Iporanga. Para visita-la precisará de equipamentos como capacetes e lanternas. Pagar a taxa do parque e contratar um guia.


8 – Cachoeira do Couto

Cachoeira do Couto, no PETAR, em Iporanga

Geladaaa! Esse deveria ser o nome da Cachoeira do Couto, com quase 05 metros de altura. É formada pelo rio que sai da Caverna do Couto. Pensa numa água gelada. E os turistas entram. Deve ser pela sensação de estar na Islândia ou na Groelândia. Nasci e cresci ao lado dessa cachoeira e só devo ter entrado nela umas duas vezes. Fica o convite. Vai encarar o desafio? Depois você me conta. Está no Núcleo Santana do PETAR. É autoguiada. Mas tem que pagar o ingresso do PETAR (R$ 14,00 por pessoa, em 2017). Se for com guia local, pede pra ele entrar antes de você na cachoeira (risos).


9- Cachoeira das Andorinhas

Cachoeira das Andorinhas, no PETAR, em Iporanga

A Cachoeira das Andorinhas pode ser considerada a principal cachoeira do PETAR. Tem quase 40 metros e está num cânion ao final da Trilha do Betari, do Núcleo de Santana, no PETAR. Só pode visitar com guia local credenciado no parque e paga a taxa de entrada, além da contratação do guia. É linda. Exuberante e os Andorinhões que vivem nela fazem jus ao nome. Ao lado dela tem a Cachoeira do Betarizinho. Também magnifica. O acesso, a trilha, cruza o Rio Betari diversas vezes e tem cerca de 8km (idade e volta). Passeio para o dia todo.

Cachoeira do Betarizinho, no PETAR, em Iporanga


10- Cachoeira das Arapongas

Cachoeira das Arapongas, em Apiaí.

A Cachoeira das Arapongas está em Apiaí. Também ao longo da SP 165, rodovia que liga Apiaí à Iporanga ou ao PETAR. É autoguiada e na entrada paga uma taxa de R$ 5,00 por pessoa ao morador local. Tem quase 60 metros de altura e é uma das mais bonitas do circuito. Não dá para nadar no seu poço, mas é possível fazer muitas imagens legais. Recomendo.

 


A maioria das cachoeiras está em Unidade de Conservação ou em propriedades particulares. Importante se informar antes com as agências receptivas locais ou na própria U.C a obrigatoriedade de estar com um guia local para visita-las. Mesmo quando não for obrigatório em algumas delas dê preferência à contratação de um guia local. Valorize a economia da região e esteja mais seguro em seu passeio.

Não acampe sem autorização, não faça fogueiras, não deixe o lixo, não beba nada alcóolico e superimportante: não salte das cachoeiras mesmo que você veja alguém fazendo saltos acrobáticos e não entre sob as grandes quedas, pois o risco de afogamento existe. Uffa, quantos ‘nãos’.

Faça lindas imagens e compartilhe. Visite a Rota das Cavernas!

Quer mais dicas de atividades e passeios na região? Recomendo pesquisar sobre as agências receptivas. Uma delas é a minha agência, a Parque Aventuras: www.parqueaventuras.com.br, mas há várias na região e dê preferência àquelas com Cadastur.

Hospedagem? Em cada uma das cidades do circuito há boas opções. Se escolher Iporanga para se hospedar eu te convido a ficar em nosso Glamping: www.mangarito.com, mas numa consulta rápida no PetarOnline você verá outras dicas de hospedagem: www.petaronline.com.br

Post sobre a visita ao Núcleo Capelinha: http://www.retratoseroteiros.com.br/parques/nucleo-capelinha-pert/

Dúvidas, sugestões ou qualquer informação? Meu e-mail: juniorpetar@gmail.com

Abraços à todos!

Relacionados